VMA

ASSESSORIA

Valuation: como calcular corretamente?

Quem já empreende ou está abrindo um negócio, provavelmente, já ouviu (ou vai ouvir!) a palavra “valuation” pelo menos uma vez durante a jornada. Também é fácil presumir que algumas pessoas não sabem o que é ou como calculá-lo corretamente.

Por isso, eu resolvi simplificar o assunto e trazê-lo de uma forma menos técnica para facilitar a vida dos novos empreendedores, que ainda não tem familiaridade com o termo. Vamos lá?!

O que é valuation?

Embora a palavra possa transmitir algo “difícil” ou “incomum”, valuation nada mais é do que a avaliação de uma empresa. O seu principal objetivo é definir o valor de mercado justo para determinado negócio, seja qual for a área de atuação.

Contudo, vale destacar que, embora não seja um bicho de sete cabeças, calcular o valuation não é algo tão simples quanto determinar o preço de um produto X. Na verdade, a estimativa de valor de uma empresa precisa ser baseada em diferentes critérios (como patrimônio, fluxo de caixa, lucro e liquidez) muito bem avaliados.

Também é importante lembrar que o valuation é uma estimativa fundamentada em dados. Então, a ideia é que o valor encontrado seja o mais real e justo possível, levando em conta o tipo da empresa, o seu potencial e as suas características.

Quais os tipos de valuation?

Apesar de o objetivo ser sempre o mesmo, os profissionais usam diferentes métodos para avaliar uma empresa. Geralmente, cada um deles tem uma abordagem diferente e lida com dados específicos.

Confira abaixo quais são os principais tipos de valuation e as ocasiões em que eles são utilizados!

Fluxo de Caixa Descontado (FCD)

O Fluxo de Caixa Descontado (FCD) é um método bastante utilizado e permite que as empresas sejam avaliadas no presente, mas com base nos fluxos de caixas que podem ser gerados no futuro.

Ficou confuso? Eu simplifico! Durante a avaliação, são utilizadas estimativas de fluxo de caixas e possíveis descontos (considerando os custos e os riscos da empresa) para avaliar um valor presente. Dessa forma, fica bem mais fácil estimar qual é o potencial de investimento do negócio.

Múltiplos de mercado

Esse também é um tipo comum e leva em consideração outras empresas similares que estão no mercado. Nesse caso, o valor é definido exclusivamente por meio de comparações de desempenho. É, basicamente, comparar – de forma relativa – os indicadores do seu negócio baseando-se em outros que atuam no mesmo ramo.

É uma boa técnica, mas é necessário encontrar empresas do mesmo setor e que funcionem com um modelo igual. Portanto, esse pode ser um empecilho.

Valor contábil e valor de liquidação

Trata-se de dois métodos simples que utilizam dados diferentes para fazer a avaliação. Por isso, eles precisam ser feitos com cautela para que realmente cheguem ao valor justo.

Em resumo, o valuation por valor contábil (ou patrimonial) leva apenas o patrimônio líquido da empresa em consideração, sem considerar os bens intangíveis (ou seja, imateriais). Normalmente, a base vem da contabilidade e dos dados do balanço.

Mas devido à dificuldade em retratar fielmente o negócio, essa técnica não é utilizada em qualquer ocasião.

Já a avaliação feita por valor de liquidação considera a soma dos ativos menos os passivos. Podemos defini-la como a diferença entre os direitos e os deveres da empresa

Mas, como o nome sugere, essa técnica não é muito utilizada por empresas que têm boas perspectivas de futuro ou que pretendem se manter no mercado.

Para que serve o valuation?

Depois de entender o que é e quais são os principais tipos de valuation, você pode estar se perguntando “Ok, mas para que serve o valuation?” ou “Por que eu devo fazê-lo?”.

Eu respondo: ele é um passo imprescindível para quem está em busca de investidores para o seu negócio. Por isso, quem tem uma startup e busca investimento para entrar ou se manter no mercado, precisa ter dados convincentes de que a ideia realmente merece um aporte financeiro.

Uma forma bem simples de entender a importância de um valuation é se colocando no lugar dos investidores. Imagine que você tem um dinheiro guardado para comprar uma casa. Depois de muita procura, você encontrou a casa dos sonhos, no tamanho ideal e com cômodos distribuídos da forma que você imaginou.

A partir daí, como saber se o preço cobrado é realmente justo?

Para fazer uma escolha inteligente, será preciso levar vários fatores em consideração, como: localidade, problemas, potencial valorização e várias outras características que agregam valor ao imóvel.

É o que acontece com os investidores! Eles não podem se basear apenas na ideia ou na empolgação do empreendedor. É essencial que existam dados claros (e reais!) que comprovem a robustez do negócio e que o valor é realmente justo.

Como calcular o valuation corretamente?

Como eu disse, há vários métodos para calcular o valuation e tudo vai depender do objetivo que você pretende alcançar. Cada técnica leva dados diferentes em consideração e, como você viu, tem um foco distinto.

Por isso, o primeiro passo para calcular o valuation é definir o tipo ideal para a sua startup. Depois, chega a hora de reunir os dados e colocar a mão na massa.

Considerando os tipos que citei lá em cima, os cálculos base são:

  • Fluxo de Caixa Descontado (FCD): Valor da empresa = fluxo de caixa futuro / (1 + taxa de desconto) elevado pelo número de períodos estimados;
  • Múltiplos de mercado: Múltiplo = valor de mercado / variável ou indicador escolhido;
  • Valor contábil: É o valor registrado no balanço;
  • Valor de liquidação: Valor de liquidação = todos os ativos – todos os passivos.

Mas atenção! Em qualquer um dos casos, não hesite em contratar um profissional. Ele saberá exatamente como fazer os cálculos de maneira adequada e personalizada, baseando-se na realidade do seu negócio. 

Ainda tem dúvidas sobre como calcular o valuation e qual é o tipo ideal para a sua startup? Participe da minha sessão estratégica e vamos montar juntos o melhor plano para você receber investimentos de grandes fundos. Eu quero ajudar o seu negócio a prosperar!